O modelo de paz do Papa Francisco

31/12/2019

Recordamos, através das palavras do Papa, as mensagens para o Dia Mundial da Paz de 2014 a 2020. No dia 1º de janeiro, Solenidade de Maria Santíssima Mãe de Deus, será celebrado o 53º Dia Mundial da Paz e Francisco presidirá a Santa Missa na Basílica Vaticana

Amedeo Lomonaco - Cidade do Vaticano

Corações banhados pela fraternidade, vidas libertadas das escravidões, olhares capazes de vencer a indiferença, sementes de não violência para promover a paz. Mas também mãos estendidas para os migrantes e refugiados, passos inspirados pela boa política e caminhos de diálogo e de reconciliação. O olhar que ilumina as mensagens do Papa Francisco para os Dias Mundiais da Paz é dirigido para esses horizontes cheios de esperança. Mesmo entrelaçando com a realidade de uma sociedade deformada por vários vícios, é um olhar sempre ligado à esperança cristã, ao rosto de Jesus. Dos ensinamentos e das exortações do Papa Francisco para a paz, destaca-se também o nítido perfil de um denso magistério.

Na família de Deus, onde todos são filhos de um mesmo Pai, não há "vidas descaratdas": a fraternidade, explica o Papa, é também uma "premissa para derrotar a pobreza". Mas é preciso de "políticas eficazes que promovam o princípio da fraternidade, garantindo às pessoas o acesso aos "capitais", aos serviços, aos recursos educativos, sanitários e tecnológicos". Francisco convida também a redescobrir a fraternidade na economia, a pensar novamente nos "modelos de desenvolvimento" e a mudar "os estilos de vida". Com a fraternidade, prossegue Francisco, "apaga-se a guerra" se cada um reconhece no outro "um irmão a ser cuidado". Por fim, observa que a fraternidade ajuda também a "guardar e cultivar a natureza"